terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Óculos inteligentes focam automaticamente no que você olhar

 

exame.abril.com.br

c3b3culos-inteligentes

 

Por Marina Demartini

30 jan 2017, 17h22

Óculos: eles demoram 14 milissegundos para mudar de foco (Dan Hixson/University of Utah College of Engineering/Divulgação)

São Paulo – Um professor da Universidade de Utah, nos EUA, criou um par de óculos que promete facilitar a vida de quem tem algum tipo de problema de visão. O gadget tem lentes líquidas que automaticamente focam em qualquer coisa que o usuário está vendo – independentemente da distância.

A ideia de desenvolver os óculos surgiu quando o professor Carlos Mastrangelo descobriu que tinha presbiopia, uma condição que afeta a maioria das pessoas a partir dos 45 anos. Também conhecido popularmente como “vista cansada”, o distúrbio faz com que o indivíduo não consiga ver com nitidez objetos próximos.

Mastrangelo disse em entrevista ao site The Verge que a maior dificuldade em ter presbiopia é que os óculos são usados em apenas algumas ocasiões. Caso estivesse dirigindo, ele não poderia usar os acessórios para olhar a estrada, porém ele também não conseguiria ver a tela do GPS ou o painel de controle do automóvel.

Por isso, o professor criou óculos que se modelam de acordo com a situação. Eles funcionam de uma maneira bem similar aos olhos humanos, já que as lentes – assim como o cristalino dos olhos de uma pessoa jovem – se curvam facilmente.

Isso é possível graças às membranas de borracha que seguram as lentes. A membrana traseira é conectada a três atuadores mecânicos que empurram a membrana para a frente e para trás. Desse modo, ela muda a curvatura da lente líquida – que é feita de glicerina – e, como consequência, muda a distância focal entre a lente e o olho.

“O comprimento focal dos óculos depende do formato da lente. Assim, para mudar a potência óptica, temos que mudar a forma da membrana”, disse Mastrangelo em um comunicado da Universidade de Utah.

Além disso, para que as lentes se curvem corretamente, o vidro dos óculos possui um sensor de distância que usa luz infravermelha para calcular a distância entre o objeto e os óculos. Segundo o professor, os óculos demoram 14 milissegundos para mudar de foco e têm uma bateria recarregável que dura mais de 24 horas.

Este é a primeira versão dos óculos. Mastrangelo e seu time de pesquisadores pretendem deixar o gadget mais bonito e elegante. A equipe também quer incluir uma câmera de profundidade e um sensor de rastreamento ocular na próxima versão dos óculos.

O professor acredita que o dispositivo poderá ser comercializado daqui a dois ou três anos. O preço estipulado por ele fica entre 500 e mil dólares. Segundo Mastrangelo, os óculos custam caro, mas valem o preço.

 

Notícias sobre GadgetsMedicina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.